Inicio
Albuquerque
Atlanta
Atlantic City
Bariloche
Boston
Buenos Aires
Chicago
Colonia
Dallas
Houston
Kansas City
Las Vegas
Los Angeles
Miami
Montevideo
Montreal
New Orleans
New York City
Orlando
Ottawa
Philadelphia
Phoenix
Portland
Quebec
Saint Louis
Salt Lake City
San Diego
San Francisco
Santiago
Seattle
Toronto
Valparaiso
Vancouver
Victoria
Washington

 

 

 

 





 

 

 

 


Boston vista do mirante do Prudential Center

Demoramos para ir a Boston. Por alguma razão indefinida, ela não nos atraia. Talvez por estar situada no nordeste do país, uma região de clima severo, ou por não vermos nela os atrativos turísticos como os encontrados em cidades mais ao sul, ou ainda por ser o destino de tantos brasileiros que iam para os Estados Unidos tentar a vida, trabalhar em condições exaustivas e quase sempre voltavam dizendo que ganharam dinheiro mas detestaram tudo por lá. Boston nos dava uma idéia de ser antipática, tinha um clima dèja-vù, e por alguma razão tínhamos a sensação que ao chegar lá alguém ainda ia aparecer e nos dizer: My God, mais dois brasileiros!? Até que uma vez, num roteiro pelo nordeste americano, apareceu a chance de visitar a cidade, e resolvemos ficar alguns dias lá para ver se ela era só o que diziam, ou se Boston poderia ser também um lugar que valia a pena.

   

E lembramos então daquela história que diz que qualquer lugar pode ser ótimo ou terrível, dependendo da forma como é visto, ou das experiências que cada um vive naquele lugar. E vimos que Boston, pelos olhos de dois turistas, é idêntica a qualquer outra grande cidade americana, e tem história, tradições, legado, comércio, bairros típicos, prédios imponentes e bairros acolhedores.

Boston é a capital do estado de Massachusetts e uma das cidades mais antigas dos Estados Unidos. Foi fundada em 7 de setembro de 1630 por colonos puritanos vindos da Inglaterra. É considerada a capital de New England (região ao nordeste do país, formado pelos estados de Maine, New Hampshire, Vermont, Massachusetts, Rhode Island e Connecticut), nome dado pelos primeiros colonos ingleses a esta região do país, no início do século 17. Na época, Boston chegou a ser a maior cidade da então colônia britânica nas Américas e através dos anos continuou a desempenhar um importante papel na história do país, em sua luta pela independência inclusive, até nossos dias.

Para turistas recém chegados, uma caminhada pelo centro da cidade e bairros próximos revela diversos traços de sua história, a começar pela arquitetura, nitidamente influenciada pelo período colonial britânico. Subúrbios com belas mansões, avenidas largas e arborizadas. Diversas escolas, renomadas faculdades e universidades dão a Boston posição de destaque na educação superior, especialmente em medicina. Ela também é importante pólo em atividades de pesquisa, finanças e biotecnologia. É também uma cidade com diversas oportunidades de trabalho, mas ao mesmo tempo cara, o que torna importante para o turista que não quer gastar mais que o necessário, escolher com atenção onde se hospedar.


Torre da Custom House e South Market Place

Por esta razão, entre outras, nossa opção de hospedagem foi o Residence Inn Boston Norwood, e que felizmente descobrimos ser um dos melhores hotéis onde já nos hospedamos, e com preço justo. Sua única desvantagem era a distância, o que nos abrigava a uma jornada de 35 km de carro todos os dias até a cidade. Em compensação, íamos a cada vez por um caminho diferente, sempre evitando pegar a auto-estrada I93 (quase sempre congestionada), o que nos deu oportunidade de ver muitas coisas interessantes nos subúrbios. Na verdade, poucas coisas revelam mais sobre uma cidade que seus subúrbios. Geralmente é lá que a cidade é autêntica, sem lero-leros para turistas, e que a vida de um lugar e de seus moradores se mostra tal qual ela é, sem maquiagens nem artifícios. E isto vale para praticamente qualquer lugar.

Boston foi fundada praticamente em frente ao mar e se alguém olhar seu mapa irá perceber que a parte central é cortada por diversos cursos de água, canais e rios, conhecidos como Charles River Basin, Fort Point Channel, Pleasure Bay, Hingham Bay, Quincy Bay e outros. Mesmo assim, Boston não é uma cidade praiana, e nem o clima permite isso. A água está logo ali, mas pouca gente curte o mar. Em termos turísticos, o melhor da cidade está situado em Downtown, Back Bay e áreas próximas, e são estas áreas que concentram a atenção dos visitantes.


Faneuil Hall 

Entre canais e baías Boston foi fundada e cresceu e atualmente todas estas regiões centrais são interligadas por um eficiente sistema viário, formado por pistas elevadas, túneis e pontes. Downtown Boston (o centro) situa-se praticamente num promontório, onde também estão situados, ao norte, os bairros de North End e West End, e à oeste Beacon Hill. Ao sul situa-se Chinatown, mais à oeste a bela região de Back Bay, e para além dos canais, bairros diversos que compõem a grande Boston, como Broolline, Mid Cambridge, Somervile, Chelsea, Revere e muitos outros. 

Sugerimos começar sua visita pelo centro histórico, especificamente pelo Faneuil Market. Desde 1742 este prédio tem funcionado como mercado e centro da vida política e social de Boston. Nele foram feitos inflamados discursos de líderes revolucionários, incentivando o país a tornar-se independente da Inglaterra e até hoje há quem se refira ao local como 'The Cradle of Liberty' (o Berço da Liberdade), nome que acabou sendo utilizado como apelido para a própria cidade.

Vídeo: Ruas de Boston

Siga depois até o  Faneuil Hall Marketplace, um mercadão situado bem em frente, que sempre enche os olhos dos turistas com suas dezenas de restaurantes, oferecendo uma incrível variedade de opções gastronômicas. Lojinhas diversas e um agradável calçadão completam o ambiente, fazendo o conjunto um lugar super agradável para caminhadas. A área no entorno do de Faneuil Market é o principal pólo histórico de Boston, e é um exemplo de revitalização urbana bem sucedida. História, comércio, atrações turísticas, áreas para pedestres, tudo forma um conjunto agradável de ser percorrido a pé, com conforto e segurança. A pouca distancia do histórico Faneuil Hall encontra-se outro marco histórico de Boston, o prédio da Custom House (segunda foto da página), construído no século 17 com centro de alfândega do porto da cidade. O imóvel já passou por diversas reformas, sendo que sua imponente torre foi construída em 1915 e na época era o maior prédio da cidade. 



Faneuil Hall Market Place

 


North End / Little Italy

A pouca distância de Faneuil Hall, uma caminhada nos conduz até outra região imperdível do centro onde uma plaquinha bem humorada, fixada no poste de uma esquina, indica a direção de várias localidades italianas. Entende-se, afinal, alguém que fosse levado a este lugar de olhos fechados, poderia pensar que tinha acabado de chegar em alguma cidade italiana. North End, apesar do nome em inglês, é italiano de corpo e alma. É o bairro mais antigo de Boston, faz imenso sucesso entre moradores e visitantes e é famoso pelos restaurantes, prédios de estilo arquitetônico típico, fachadas coloridas, ruas calçadas com pedras, e claro (mama mia!) muita animação e gente falando italiano em cada esquina.  

Embora North End seja uma região relativamente pequena, é nela que se encontra a  maior concentração de restaurantes de Boston. Visitas imperdíveis neste bairro são a Casa de Paul Revere (leia mais sobre ele abaixo) e Old North Church (Salem Street 193). Este templo religioso tem também importância histórica, pois foi de sua torre, numa noite de 1775, que foi dado o sinal sobre a aproximação dos soldados ingleses, evento que deu início à reação americana e à guerra pela independência.

Vídeo: North End

 

Depois visite Beacon Hill, situada próxima ao centro, famosa por seu estilo arquitetônico, onde predominam ruas com calçamento de pedra, elegantes residências e iluminação pública ao estilo colonial, com postes de rua e lâmpadas de gás. As centenas de prédios de tijolinhos ao estilo inglês, bay windows, ruas estreitas e cafés intimistas dão ao bairro um aspecto acolhedor e fazem desta uma das regiões mais agradáveis da cidade, e ao mesmo tempo uma das mais caras para quem está à procura de uma residência. Além de arquitetura privilegiada, Beacon Hill também conta com um belo parque, o The Esplanade, construído às margens do Charles River Basin, um dos cursos de água que banham Boston. No bairro situa-se também  Massachusetts State House (sede do poder legislativo estadual), o que faz com que a imprensa geralmente  use o termo 'Beacon Hill' para se referir a atos do governo ou congresso.


Beacon Hill

Boston tem muitos apelidos, além do tradicional 'Cradle of Liberty' (berço da liberdade), tais como 'The City on a Hill' (cidade na colina, em referência às suas três colinas), 'Puritan City' (cidade dos puritanos, em referência aos seus fundadores) e 'Walking City' (Cidade onde se Anda - o que para nós pode parecer estranho, mas é algo muito especial num país onde quase todos usam transportes sobre rodas). Efetivamente, devido às suas características, Boston é uma das cidades onde mais se vê pessoas caminhando. Mesmo assim, quem decidir usar transportes públicos estará  bem servido em Boston. O sistema de metrô da cidade, muito eficiente e operado pela MBTA, é o mais antigo do país, integrando ainda ônibus, trens e embarcações fluviais.


Pub histórico

Como uma das primeiras colônias inglesas estabelecidas na America, Boston preserva o que pode ser classificado como antiguidades, ou velharias ou preciosidades, dependendo de como cada um pensa. Aqui estão, por exemplo, pubs centenários, como o Green Tavern Pub (fundado em 1654),  Warren Tavern (1775),  Bell in Hand (1795) e a Union Oyster House. Bem... nem todos estão no mesmo lugar desde aquela época e quase todos já passaram por diversas reformas, mas não importa. Eles são o lugar certo para tomar uma boa cerveja, assim como faziam os Pilgrims que fundaram a cidade. Quem sabe sua mesa não foi antes ocupada por George Washington ou Paul Revere, bebendo um goles de cerveja enquanto planejavam a forma mais eficaz de combater os ingleses?

Outra famosa antiguidade de Boston, e esta no campo do conhecimento é Harvard, a primeira faculdade fundada no país, em 1636. Poucas escolas superiores são tão conceituadas quanto esta e seu nome foi herdado de seu fundador, John Harvard, o qual doou  seus livros e fortuna pessoal para a escola.

Mais uma celebrada antiguidade de Boston é Fenaway Park o mais antigo campo de baseball do país, construído em 1912, quando o esporte começava a ser tornar popular nos Estados Unidos. Atualmente Fenway Park é sede do super popular e festejado time do Boston Red Sox, o principal time de baseball da cidade. Quer saber outras antiguidades de Boston? Aqui foi construído o primeiro metrô do país, assim como a primeira escola pública, a primeira biblioteca, foi fundado o primeiro jornal do país, New England Courant, fundado em 1721 pelo irmão de Benjamin Franklin, o famoso inventor. 

Mas é claro que nem tudo em Boston limita-se apenas a antiguidades e história, e o centro da cidade, com suas torres empresariais, deixa isto bem claro. Boston é uma cidade extremamente dinâmica, com ruas movimentadas, estacionamentos cheios, trânsito intenso, muitas pistas de alta velocidade e engarrafamentos à vontade, em diversas horas do dia.


Downtown / Centro

Viajantes internacionais que cheguem de avião provavelmente vão desembarcar no principal aeroporto de Boston, conhecido como Logan International Airport e situado em Apple Island, sendo o acesso até lá feito por dois túneis (Callaham Tunnel e Summer Tunnel). Estes túneis integram o projeto popularmente conhecido como Big Dip, o mais caro projeto rodoviário urbano já executado no país, que previa o deslocamento da auto-estrada I93 (principal via a cortar o centro), substituindo-a por um complexo de túneis com mais de cinco quilômetros de extensão, sendo muitos deles submarinos. Como o centro de Boston é espremido contra o mar, o trânsito na região é difícil há anos, cada vez mais congestionado, e o projeto justificava-se como alternativa para desafogar os constantes engarrafamentos a qualquer hora. Atrasos e problemas diversos atrasaram as obras e aumentaram os custos, e estima-se que, a preços atualizados, o custo total da obra chegue a 22 bilhões de dólares. 


Boston Common Park

Mas além de celebradas antiguidades e imponentes modernidades, Boston também tem várias áreas verdes próximas ao centro. Ao sul de Beacon Hill situa-se uma das mais agradáveis, Boston Common, muito freqüentada nos meses de verão (não é raro a temperatura chegar aos 27 graus), como nos meses de inverno (quando os termômetros freqüentemente marcam 5 graus abaixo de zero), quando muita gente vem patinar no lago congelado. Por outro lado, quem dispuser de mais tempo e curte a natureza pura, deve aproveitar para fazer um passeio ao Boston Harbor Islands National Park, formado por mais de trinta pequenas ilhas, situadas praticamente em frente à cidade. A maior delas, George's Island, abriga um forte histórico remanescente da guerra civil, além de diversas trilhas, áreas de lazer e barcos de aluguel. O transporte até o parque é feito pelos barcos da Harbor Island.

Boston foi fundada em 1630, por colonos  Puritanos vindos da Inglaterra. Eles eram conhecidos como Peregrinos (em inglês Pilgrims, protestantes calvinistas). Entre 1659 e 1681 era proibido festejar o Natal na cidade, porque estes peregrinos consideravam a comemoração imoral. O primeiro nome da cidade foi Trimountaine, mas depois eles decidiram chamá-la Boston, em homenagem à cidade natal de muitos colonos, Boston, Inglaterra.

 

Seria impossível falar em Boston sem lembrar de Paul Revere, comerciante nascido aqui, em 1734. Na época. a economia inglesa estava em recessão, e Londres promulgou diversas leis  para recuperá-la, não se importando se as mesmas traziam prejuízo à economia da colônia. Com a promulgação, em 1765, do chamado Stamp Act (lei que obrigava diversos documentos da colônia a serem impressos exclusivamente em papéis fabricados em Londres, portadores de um selo oficial. Estes papeis deveriam ser comprados pelos colonos e pagos com moeda inglesa, não sendo aceita moeda americana) a economia de Boston piorou ainda mais, fomentando entre seus moradores revolta contra os britânicos. Surgem protestos, conflitos e ataques aos prédios administrativos. A situação em Boston torna-se tão séria que Londres decide enviar soldados para enfrentar os revoltosos. Ao chegar, as tropas inglesas enfrentam  e matam moradores (o episódio conhecido como Boston Massacre entrou para a história), mas a repressão só faz a revolta popular aumentar.

Em novembro de 1773, patriotas americanos vestidos como índios invadem o navio Dartmouth, ancorado no porto, e jogam ao mar todo seu carregamento de chá (na época, a lei conhecida como Tea Act dava ao chá produzido por empresas britânicas primazia sobre o chá produzido por comerciantes americanos). Este simples ato torna-se simbólico, passando a ser considerado como um  "Grito do Ipiranga" para os americanos.


Monumento à Paul Revere

A partir daí são organizadas milícias para enfrentar os ingleses, e o sonho da independência torna-se obsessão. Neste cenário, Paul Revere, foi responsável pela organização de um serviço de inteligência e alarme para alertar os moradores de Boston sobre a aproximação das tropas inglesas. E entrou para a história principalmente por ter alertado as milícias americanas sobre a aproximação britânica antes das batalhas de Lexington e Concord. Conta-se que, ao constatar a aproximação inimiga, Paul Revere montou em seu cavalo, partiu a galope para Boston e ao chegar lá acordou praticamente a cidade inteira, avisando a todos sobre a aproximação dos soldados ingleses e salvando as vidas de muitos.

O monumento construído em sua memória (foto acima), a pouca distância do local onde nasceu, foi inaugurado em 1940, e representa Paul Revere em sua histórica cavalgada de alerta.


Trinity Church e John Hancock Tower

Copley Square é um dos pontos centrais de Back Bay. No seu entorno situam-se a Trinity Church, a Boston Public Library, o e John Hancock Tower, prédio espelhado que nada tem a ver com a pequena igreja em frente.  A primeira construção da praça foi o Museum of Fine Arts (1870), marco da cidade, mas que acabou demolido em 1912 para dar lugar ao Fairmont Copley Plaza Hotel, que ainda existe. Dominando a praça situa-se Trinity Church, templo religioso de duas torres encimado por um telhado vermelho, e que, para nossa surpresa, só permitia o acesso a quem comprasse entradas. Igreja?

A John Hancock Tower, com 60 andares, é  prédio mais alto da cidade, e tinha um observatório situado no último pavimento, mas que infelizmente foi fechado depois dos ataques às torres gêmeas de New York. A pouca distância de Copley Square situa-se Newbury Street, considerada uma das ruas mais fashion de Boston, onde elegantes lojas e galerias atendem os ricos e famosos. Vale um passeio até lá, nem que seja para conferir.

Siga depois até o Skywalk Observatory Prudential Center (800 Boylston St), para uma vista incrível de Boston, em todas as direções. A visita ao mirante envidraçado do qüinquagésimo andar é feita por conta própria e quem quiser pode alugar fones de ouvido, que fornecem guia em áudio (disponível em inglês, francês e japonês) de diversos pontos históricos e turísticos de Boston. Na andar térreo do Prudential Center há um bom shopping com mais de 70 lojas e diversos restaurantes e os bilhetes para os elevadores que levam ao mirante são comprados no quiosque situado no saguão do segundo pavimento.

Vídeo: Visitando o Skywalk Observatory

Uma maneira diferente e divertida de percorrer a cidade é a bordo dos veículos anfíbios operados pela empresa Duck Tours. Depois de percorrer os principais pontos turísticos da cidade, o veículo entra na água e continua o passeio pelo Charles River, de onde se tem um visual diferente de Boston.

Tire uma manhã ou tarde para percorrer Back Bay, localizada ao sul de Charles River e a oeste do parque Boston Commons. É um pequeno bairro de formato retangular, medindo cerca de um quilômetro e meio de extensão por quinhentos metros de largura, formado por pequenos e simétricos quarteirões e um jardim central que o atravessa de ponta a ponta. Back Bay, que ganhou este nome devido à baia onde surgiu, transformou-se numa das regiões mais agradáveis da cidade, e também onde estão alguns de seus mais valorizados imóveis. São dezenas de mansões vitorianas, casas de dois ou três andares erguidas no século 19, estabelecimentos comerciais, lojas exclusivas, hotéis elegantes, restaurantes, bares e também, de uns tempos para cá, modernas torres empresariais. 

Boylston Street e Old South Church, em Back Bay

Caminhar pelas calçadas de Back Bay é uma delícia, de preferência parando de vez em quando num pub ou café, para beber alguma coisa quente. Destacam-se nesta região os prédios da Boston Public Library e da Prudential Center.


Prédios de North End

A poucos quilômetros de distância do centro, situa-se Cambridge, lar de duas famosas instituições de ensino e pesquisa, a Universidade de Harvard e o MIT (Massachusetts Institute of Technology). Mesmo quem não faz nenhum curso ou trabalho nestas duas instituições vai curtir a visita a esta região de arquitetura muito bonita, freqüentada por centenas de estudantes, e seus muitos cafés, lojinhas, antiquários e livrarias dispostas ao longo de construções erguidas com tijolinhos, ao estilo inglês. Os pontos mais agradáveis de Cambridge situam-se ao longo das praças Harvard Square, Kendall Square e Porter Square.

O Boston Convention and Visitors Bureau (órgão responsável, entre outras coisas, pelas informações turísticas) tem dois centros de atendimento na cidade, onde são fornecidas informações diversas sobre passeios, roteiros, programas, hospedagem e também distribuídos, gratuitamente, mapas e folhetos. Os centros de informações situam-se num quiosque no parque Boston Common e no hall térreo do Prudential Center.

Por ter sido a principal colônia inglesa nas Américas durante muito tempo, Boston também foi um importante pólo no processo de independência americana. Este legado histórico pode ser conhecido mais de perto graças a Freedom Trail (trilha da liberdade), como é conhecido o caminho demarcado por tijolos vermelhos, com cerca de cinco quilômetros de extensão, ligando 16 locais cuja história está relacionada à conquista da independência. A melhor forma de percorrer esta trilha é caminhando, a partir do Visitor Center (situado no parque Boston Common, onde são fornecidos mapinhas) e terminando no Charlestown Navy Yard (onde está permanentemente ancorada a fragata USS Constitution).

A Freedom Trail vai até o centro, segue pela região próxima ao porto, cruza uma ponte e finaliza ao norte da cidade, junto às docas históricas. Mesmo quem não tem interesse especial no aspecto histórico da trilha, com certeza vai curtir a caminhada e aproveitar para conhecer de perto um bom trecho da cidade. Ao longo da trilha, marcas no chão indicam eventos importantes, datas, igrejas, sepulturas e prédios históricos, sendo que diversos estão abertos à visitação com entrada grátis, ou cobram taxas simbólicas. Entre os pontos da Freedom Trail destacam-se Massachusetts State House, King's Chapel, Old State House, o local do Boston Massacre (onde moradores foram mortos por tropas inglesas), Faneuil Hall, a casa de Paul Revere, Bunker Hill Monument e a fragata USS Constitution. Reserve ao menos três horas para completar este roteiro.


Trecho da Freedom Trail

Principais jornais da cidade: Boston Globe e Boston Herald. Principais estações de televisão: CBS Boston, The Boston Channel, 7 News e My Fox Boston.


Boston vista do Bunker Hill Monument

Tire também uma hora para conhecer Harbor Walk, como é conhecido o roteiro que seja pelas proximidades do porto da cidade, ao longo de trechos da costa, algumas praias, piers, galpões, estendendo-se por mais de setenta quilômetros entre Chelsea Creek e a foz do Neponset River. O projeto do Harbor Walk prevê a revitalização de diversos trechos próximos à margem do rio e ainda não está totalmente concluído, mas à medida que evolui faz surgir nesta região, parques, quadras de esportes, transportes integrados e outras instalações.

Visite depois o Boston Tea Party Ship and Museum. O nome Tea Party refere-se ao incidente que se transformou num marco da luta pela independência americana, quando, em dezembro de 1873, comerciantes americanos revoltados com os impostos cobrados pelos ingleses, invadiram o navio Dartmouth, ancorado no porto de Boston, e jogaram ao mar todo carregamento de chá vindo da Inglaterra. Um ano e pouco após o gesto desafiador, teve início a guerra de independência americana. O museu oferece, através de exibições, filmes, móveis e documentos, um retrato de como era a Boston colonial na época, assim como os fatos históricos que se seguiram ao evento.   

E ainda falando das lutas pela independência em Boston, vale passar no Bunker Hill Monument, onde em 17 de junho de 1775, aconteceu um dos primeiro combates entre americanos e ingleses. Neste local os britânicos infringiram uma pesada derrota aos ianques, que lhes causou muitas mortes. Este monumento na forma de obelisco tem altura de 67 metros e uma escadaria interna com 294 que conduz ao topo, de onde se tem uma vista privilegiada da cidade.  

Ao final de nossa visita a Boston tínhamos chegado à conclusão que nossa implicância com a cidade havia sido injusta. Sim, ela é bonita. Sim, ela tem muito para ser visto. E sim, recomendamos a cidade sem restrições. Pelo menos para passear. Além de tudo, tivemos a sorte de pegar lá um tempo maravilhoso, com um friozinho gostoso e um céu azul de ponta a ponta, que nos incentivava a caminhar à vontade. Procure, se possível, visitar a cidade entre setembro e outubro, quando as temperaturas são agradáveis e chove menos, e temos certeza que você vai curtir ainda mais sua visita ao Berço da Liberdade. Sim, Boston vale a pena.


Charles River e ponte Longfellow vistos do Prudential Center

 

 

Veja: Diversas fotos em alta resolução de Boston

 

A música desta página é Massachusetts, gravada por Bee Gees. Para interromper sua execução clique em X (parar).

 


Bandeira de Boston